sexta-feira, 31 de julho de 2009

DIFÍCIL VIDA DE ESTUDANTE


Certa tarde a diarista que estava trabalhando em minha casa percorre todo o trajeto da sala, ao me ver encolhida em um canto lendo um livro, fala:

_Vida de estudante é difícil, né?

Ela disse essa singela frase, mas com significado amplo, saiu sem esperar eu fazer algum comentário e foi continuar seus afazeres.

No momento em que ela me disse isso eu tive vontade de dizer em alto e bom tom que nem é tão difícil e tão cansativo quanto o trabalho dela. No entanto, contive-me com essa ideia só nos meus pensamentos.

Mas, em se tratando especialmente do livro em que eu estava lendo no momento da fatídica frase da diarista, talvez eu mudasse de ideia. E afirmasse para ela que sim, vida de estudante é deverás chata. O livro em questão é do mestre Machado de Assis, Memorial de Aires. Antes de mais nada, eu queria expressar que me encantei com a escrita de Machado em Dom Casmurro e em Memórias Póstumas de Brás Cubas. Se não me dissessem que Memorial de Aires era dele, eu não ousaria de maneira alguma afirmar que era dele. Uma vez que, a história desse livro não tem surpresa alguma no enredo, quase tudo é previsível (ao contrário de dos outros livros dele). Eu tenho que dar um desconto também pelo fato que o tema do livro é o retrato dos pequenos acontecimentos da vida de um casal de idosos. Eu queria o quê? Que o casal tivesse intensos momentos como: escalar gigantescas montanhas, surfar ondas monstruosas, fazer loucuras amorosas!

De maneira alguma estou querendo desmerecer o livro. Já que ele não trata somente dos tediosos encontros de amigos, jantares, chás do casal de idosos; mas também de assuntos como abolição da escravatura.

Eu só diria que se o livro não fosse de Machado de Assis, provavelmente não teria importância literária. E talvez eu preferiria o trabalho da diarista a ler esse livro. Tudo bem, não deixem a minha mãe ficar sabendo dessa minha frase anterior.

15 comentários:

Tatah' disse...

Vida de estudante é realmente difícil.. incrível como tem pessoas (lê-se: os pais) que acham que estudar é simples...

bju'

Bill Falcão disse...

Hehehe!!! Li Machado há muitos anos, my dear Kamilla, mas lembro de ter uma impressão parecida com a sua: o "Memorial de Aires", se não me engano, foi o último livro dele. O gênio tava ali, mas fiquei com a sensação de que o mestre já tinha feito coisas melhores. No entanto, continue até o fim. Lembro que o livro melhora do meio pro final. Confira!
E um bjooooooooo!!!!!!!!!!

Gi Moreira disse...

Eu não li esse! =/ Li quase todos os livros do "Bruxo do Cosme Velho"! BJS

Ana Cristina disse...

ahauhauhauah... Por mim sua mãe não saberá de sua frase!^^ Realmente vida de estudante é complicada semana que vem eu volto as aulas e já estou meio maluca!ahuahuhau... Tenho que ler um monte de livros para a escola e estou com preguiça porque os meus livros são bem chatinhos, mas eu vou lê-los.
Muito obrigada pela visita lá no blog e sorte com os estudos! XD
Já tem post novo lá no blog se quiser conferir fique a vontade para passar lá!

Vinicius disse...

ahn eu acho que é dificil rsrs mais dificil que trabalhar até rsrs

Luiza Terpins disse...

É, algumas vezes eu tbm acho que o trabalho de diarista é mais fácil que o de estudante. Prefiro mil vezes ter que limpar um quarto do que fazer 20 exercícios de progressão geométrica, haha! Quanto ao livro, esse eu não li, mas tbm adorei Dom Casmurro!

Luiza F. Nunes disse...

Haha eu nem gostei muito de Dom Casmurro, e odeio ter q ler estes tiposde livros, na verdade até gosto de alguns, adorei SENHORA e MEMÓRIAS DE UM SARGENTO DE MILICIAS, mas não sou uito fã de Machado não =/

E vida de estudante é bem chatinah e complciada =p

Bjoks

Rodrigo Yoshizumi disse...

oi Kamilla! que bom que você voltou a postar!

e concordo plenamente com você... eee, vidinha de estudante!

esse livro do Machado de Assis eu não li... na verdade, eu nem conhecia =\ e já que você falou assim dele, prefiro ficar só com Brás Cubas e Dom Casmurro para montar na minha cabeça a imagem literária que tenho do Machado de Assis.

Boa semana!
Bjao

Ran Omelete disse...

Às vezes a gente precisa crescer um pouco para poder perceber a importância literária de um livro. Tanto é assim que é pouco provável que uma criança de dez anos perceba o teor literário de qualquer livro do Machado de Assis.

E talvez a empregada estivesse sendo sutilmente irônica com você. Digo isso porque, à época que eu era apenas estudante e passava horas em meu quarto lendo, ouvia comentários semelhantes, carregados com uma sutil nota de ironia.

Aíla disse...

Nunca li esse livro de Machado, então, nem posso opinar tanto :x
E, confesso que, logo no começo, pensei a mesma coisa da pessoa acima, só depois entendi que não era ironia hwhuwhs :)
Beijo C:

Lay disse...

Gosto muito de leituras e da vida de estudante, mas o curioso é que nunca fui "subitamente arrebatada" pela literatura de Machado, como os seus leitores mais devotos foram. Em nenhum momento fui loucamente apaixonada pelo modo como o autor constrói suas narrativas. Não sei explicar o porquê... Acho que preciso reler Machado para realmente entender o que há de tão fantástico nele...
Claro que o considero um dos grandes, mas não a ponto de ficar completamente encantada com o mesmo.

Seu blog é sempre uma boa leitura, Kamilla.

Anna disse...

Nunca li Memorial de Aires, na verdade, nunca havia ouvido falar. Mas desconfiei quando vi uma estante só com esse livro no sebo. Tipo, não é comum um livro bom ser encontrado em tanta quantidade nos sabeos, certo? Agora, creio que minha suspeita se confirmava.
beijos

Nerfethyty disse...

Oii... eu só li Machado de Assis uma vez, e foi Dom Casmurro... mas não gostei do estilo dele, alias na epoca que li foi para uma prova e ler livro pra provas não é muito inspirador ou divertido, então acabei não gostando =/ ... mas geralmente gosto muito de ler ^,~
E obrigada pela visita ^^v
.
.
.
Bjocas

Ana Cristina disse...

Passando para conferir o blog!
Quando puder passa lá, tem post novinho. Beijos e até mais!

KAKA disse...

hahahaha estava de férias e dispensei a faxineira! foi a pior coisa que fiz no ano de 2009, trabalho cruel, verdadeiramente do inferno kkkkkkk